28 dezembro 2015 | Tom Rowley | 0 comentários

Ano Novo de esperança

Quando a determinação do ano novo esmorece e as resoluções falham, ofereço uma alternativa mais esperançosa: manter os olhos em Jesus. Em um mundo onde pessoas estão morrendo, o clima mudando e espécies sendo extintas – um mundo que está, em termos bíblicos, “gemendo“ – qualquer outra opção é simplesmente insustentável. Como Pedro tentando andar sobre o mar da Galiléia, podemos olhar para a situação e afundar. Ou podemos fixar nosso olhar no Cristo que cria, redime e reconcilia todas as coisas, o Salvador que segura nossas mãos trêmulas e estendidas e nos encoraja a continuar.

É mais fácil falar do que fazer, eu sei. O vento faz nossos olhos arderem e as ondas agarram nossas pernas. A “realidade” da situação é dura. Mas, como numa imagem figura-fundo, o que enxergamos a princípio não é tudo o que há lá. Vistos com olhos humanos, os desafios que o planeta enfrenta parecem insuperáveis. Os olhos da fé, porém, vêem uma imagem diferente; eles vêem algo mais.

Negative space zebra

Certamente, os olhos da fé vêem uma situação de lamento com uma terra ressequida, e em que todos os que vivem nela desfalecem; os animais do campo, as aves do céu e os peixes do mar são dizimados – tudo por causa do pecado humano (Oséias 4). Os olhos da fé não tornam a situação cor-de-rosa, nem são cegos. Deus nos capacitou para olhar, estudar, discernir e, em tempos como estes, chorar. A recusa em fazê-lo não é fé, e sim loucura. Ignorar ou negar os acontecimentos (mudança climática, extinção de espécies em massa, injustiça ambiental ou justificações teológicas distorcidas para saquear o planeta) não vai fazer com que eles desapareçam.

Mas o lamento não completa a imagem. Não. Os olhos da fé também têm uma visão alegre ao saberem que o mar ressoará, e tudo o que há nele; os rios baterão palmas; e as montanhas juntas cantarão de alegria (Salmo 98). Eles enxergam uma figura na qual tudo, enfim, será na Terra como é no céu.

Finalmente, os olhos da fé enxergam a nós mesmos na imagem. Fomos criados para zelar e cultivar, para amar e cuidar de tudo o que Deus criou. Fazer isso é um dever e uma bênção. É também um testemunho.

Então, eu o convido para se juntar a mim no propósito de olhar através dos olhos da fé, de manter os olhos em Jesus. E enquanto o fazemos, que possamos todos ter um Ano Novo de esperança!

Tradução: Juliana Szabo / Ana Luisa BarreirosImagem baseada em Zebra, por Nevit

Categorias: Reflexões
Sobre Tom Rowley

Veja todos os artigos de Tom Rowley

Deixe uma resposta