Blog A Rocha

Antes de se juntar a A Rocha, Chris possuía ampla experiência no ensino de ciências e gestão escolar no Reino Unido e no Oriente Médio, frequentando a Faculdade Bíblica e aprendendo árabe (na Jordânia) ao longo do caminho. Ele se juntou À Rocha em 1997 trabalhando, até 2009, como Diretor do Líbano onde foi co-fundador dos trabalhos no local. Ele inspecionava o programa de restauração do habitat na Zona Úmida de Aammiq, o desenvolvimento do projeto de educação ambiental e o programa de pesquisa de campo, identificando 11 novas importantes Áreas de Aves. Desde abril de 2010 é Diretor Executivo d’A Rocha Internacional e trabalha em Oxfordshire. Seu livro Postcards from the Middle East: How our family fell in love with the Arab world (“Cartões Postais do Oriente Médio: Como nossa familia se apaixonou pelo mundo Árabe”) foi publicado por Lion Hudson em março de 2015.

24 setembro 2018 | Chris Naylor | 0 comentários

Cuidado da criação no Líbano

A história está escrita nas paisagens do Vale de Bekaa no Líbano. Baalbek com suas magníficas ruínas romanas, os tells arredondados mais antigas, e longas cercas de arame farpado e tanques enferrujados. Para o bem ou para o mal, deixamos nossa marca na terra muito depois de termos ido embora. As pessoas podem dizer o que acreditamos sobre Deus a partir do que escrevemos na paisagem?

Categorias: Reflexões
20 março 2017 | Dave Bookless | 0 comentários

Obcecados com o início e com o fim

Recentemente, eu estive em Catmandu, falando sobre cuidado com a criação para um grupo de aproximadamente 90 líderes cristãos vindos do Nepal, Índia, Paquistão, Sri Lanka e Bangladesh. Eles estavam realmente receptivos… até que eu cheguei na parte dos planos futuros de Deus para a criação. Mas nós iremos todos para o Céu, não é mesmo? E o Arrebatamento? Não haverá uma nova criação? A terra não será destruída pelo fogo?

Categorias: Reflexões
2 novembro 2015 | Dave Bookless | 0 comentários

Jonas: Salve a baleia!

O livro de Jonas é curto e contém somente uma história. Ela é normalmente interpretada como nos relembrando que não podemos fugir de Deus, e que mostra o Evangelho como as boas novas de que Deus deseja perdoar o pecado daqueles que genuinamente se voltam para ele. Claramente, tudo isso está lá, mas há mais em Jonas e no Evangelho do que essa visão sugere.

Categorias: Reflexões