13 março 2017 | Dave Bookless | 1 comentários

Que futuro para o planeta Terra?

Como muitos dos meus contemporâneos, eu cresci com o futuro de acordo com Hollywood: Guerra dos Mundos, Mad Max, Contatos Imediatos de Terceiro Grau, Guerra nas Estrelas, O Dia da Independência, Matrix, O Dia depois de Amanhã e When the Wind Blows além de muitos outros. São visões de um futuro assustador e distópico com um mundo devastado e destruído por uma invasão alienígena, guerra, um desastre nuclear ou ambiental. Talvez não seja surpreendente que a literatura cristã popular seguiu esta linha: de The Late Great Planet Earth de Hal Lindsey até a série Deixados Para Trás de Tim LaHaye e Jerry Jenkins que vendeu mais de 65 milhões de cópias.

“Comet strike” by Ben Crowder

Durante anos, enquanto eu tentava entender pré-, pós- e amilenismo e explicações complicadas de versículos bíblicos obscuros, eu sempre tinha uma suposição fundamental: de que esse mundo seria completamente destruído quando Cristo voltar para o julgamento. Mas dentro de mim algo parecia errado e, conforme eu lia mais a bíblia, minhas perguntas se multiplicavam:

Quando nós entendemos o panorama geral do plano de Deus, aqueles versículos confusos, sobre os quais a ficção dispensacionalista tem sido construída, fazem sentido. Por exemplo, 2 Pedro 3:7–10 não se refere à destruição desse mundo numa conflagração final, mas no fogo refinador do julgamento levando a Terra a um estado “despido” – como um campo preparado por um agricultor antes da plantação. O paralelo com o dilúvio em 2 Pedro 3:6 confirma que isso diz respeito a um novo início tanto quanto à destruição.

Se isso é uma novidade para você, eu recomendo o livro ‘Surprised by Hope’ de Tom Wright ou o meu próprio livro ‘Planetwise’. Como Tom Wright diz, «O céu é importante, mas não é o fim do mundo.» Por um lado não importa o que você acredita sobre o fim dos tempos desde que você obedeça o mandado de Gênesis de refletir a imagem de Deus no serviço e na preservação da criação. Porém, por outro lado é muito importante, porque as nossas atitudes negativas para o futuro da criação levam inevitavelmente ao negligência no melhor caso ou à destruição desenfreada no pior. O futuro do planeta Terra está nas mãos de Deus, e não das de Hollywood, mas isso não significa que nós podemos agir como vândalos planetários. Deus «destruirá os que destroem a terra» (Ap 11:18). A nossa tarefa é de ser como as dez virgens da parábola de Jesus (Mt 25:1–13) – de vigiar e preparar uma recepção adequada para a volta gloriosa do Criador, Sustentador e Salvador da criação.

Tradução: Vinicius Gripp Ramos

Categorias: Reflexões
Sobre Dave Bookless

O Dave tem colaborado com A Rocha desde 1997, primeiro na diretoria internacional, e a partir de 2001 com A Rocha Reino Unido como co-fundador (com a sua esposa Anne), depois como Diretor Nacional, e finalmente como Diretor para a Teologia, Igrejas e Comunidades Sustentáveis. Ele se tornou Diretor de Teologia de A Rocha Internacional em setembro de 2011. A sua função inclui o aconselhamento e provisionamento de recursos à diretoria e equipe de A Rocha Internacional, e também às organizações nacionais A Rocha, e fazer a ligação com organizações teológicas e redes de missões internacionais. Simultaneamente, ele está fazendo seu doutorado na Universidade de Cambridge sobre teologia bíblica e conservação da biodiversidade.

Veja todos os artigos de Dave Bookless

Uma resposta para “Que futuro para o planeta Terra?”

  1. […] Veja meu blog anterior Que futuro para o planeta Terra? e em mais profundidade meu capítulo, “Jesus is Lord … of all?” Evangelicals, Earthcare, and […]

Deixe uma resposta