15 junho 2015 | Dave Bookless | 0 comentários

Apodrecida até o cerne? Em que sentido a criação é boa?

Louis Armstrong cantou, milhões dentre nós acompanhamos: ‘What a wonderful world.’ (Que mundo maravilhoso). Mas isso é verdade? Claro, Deus fez o mundo bom – Gênesis nos conta isso repetidas vezes e termina com Deus declarando tudo ‘muito bom’. Note que Deus nunca disse que a chegada da humanidade tornou tudo ‘muito bom’. Deus declarou o todo muito bom, implicando que o que é especial é a maravilhosa variedade da criação incluindo, mas em nenhum momento exclusivamente, a nós.

Leoa correndo no Serengeti © Schuyler Shepherd

Leoa correndo no Serengeti © Schuyler Shepherd

No entanto, se a criação foi feita muito boa, o que aconteceu? E quanto à predação, às doenças, à crueldade, aos vírus, vulcões, deficiências, terremotos? David Attenborough, o famoso apresentador de vida selvagem, ao ser repreendido por nunca atribuir a Deus as maravilhas inspiradoras em seus programas de TV, disse: «Eles sempre se referem a coisas bonitas como beija-flores. Eu sempre respondo que eu penso numa criancinha no leste da África com um verme escavando seu globo ocular. Este verme não consegue viver de nenhuma outra forma, a não ser escavando globos oculares. Eu acho isso difícil de reconciliar com a noção de um criador divino e benevolente.»

A resposta cristã instintiva é que o sofrimento, a morte e a desordem no mundo se explicam pelo pecado e pela queda. Adão comeu a maçã e agora a Terra está apodrecida até o cerne. O paraíso está perdido. A criação está caída.

Eu costumava concordar, mas confesso que não tenho mais tanta certeza. Por quê?

Então como ficamos? O sofrimento e a morte seriam parte da base de uma criação que é boa, mas ainda não chegou à perfeição? Deveríamos descartar um conceito antropocêntrico e confortável do que significa ‘bom’, e reconhecer que o mundo selvagem e perigoso de Deus tem uma bondade maior e mais misteriosa? Estou oferecendo perguntas, não respostas… mas às vezes até observadores de aves precisam pôr lenha na fogueira.

Tradução: Juliana Pereira / Sabrina Visigalli do Rosário / A Rocha Brasil

Categorias: Questões
Tópicos: sofrimento teodiceia
Sobre Dave Bookless

O Dave tem colaborado com A Rocha desde 1997, primeiro na diretoria internacional, e a partir de 2001 com A Rocha Reino Unido como co-fundador (com a sua esposa Anne), depois como Diretor Nacional, e finalmente como Diretor para a Teologia, Igrejas e Comunidades Sustentáveis. Ele se tornou Diretor de Teologia de A Rocha Internacional em setembro de 2011. A sua função inclui o aconselhamento e provisionamento de recursos à diretoria e equipe de A Rocha Internacional, e também às organizações nacionais A Rocha, e fazer a ligação com organizações teológicas e redes de missões internacionais. Simultaneamente, ele está fazendo seu doutorado na Universidade de Cambridge sobre teologia bíblica e conservação da biodiversidade.

Veja todos os artigos de Dave Bookless

Deixe uma resposta